Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Prova Vertical Meruge

por cegosporprovas, em 30.05.14

Foi no passado dia 27 de Maio que o grupo “ Cegos por Provas” esteve presente em mais um evento único. Uma prova vertical de Meruge Branco e Meruge Tinto, o evento foi conduzido pela Ivone Ribeiro da Garage Wines, que mais uma vez nos encantou com a sua hospitalidade, e contou com a presença do enólogo Paulo Ruão da empresa Lavradores de Feitoria.

As colheitas em prova foram: Nos brancos 2011,2010 e 2009; Nos tintos 2010,2007 e 2005.

 

O Meruge branco é feito com a casta Viosinho e foi alvo de experiencias em relação ao tipo de carvalho usado nas barricas (português, francês, russo e húngaro), tendo a opção final recaído no carvalho Português não tostado (cru) com evidentes benefícios no carácter particular deste branco. Trata-se de um vinho com um perfil fresco, com boa acidez, boa fruta, mineralidade e com boa capacidade de guarda.

 

Já o Meruge tinto é um vinho de terroir proveniente de uma vinha virada a norte, com 80 % de tinta Roriz e 20% de vinhas velhas. É um vinho, ao estilo da Borgonha, de carácter fresco, elegante, macio e suave para o qual contribuiu a pouca extracção na vinificação.

 

Os vinhos foram pontuados de 0 a 20 e por opção do enólogo foram provados dos mais novos para os mais velhos.

 

Meruge branco 2011

Nariz floral de tília e camomila, pêssego, a abrir para alguma fruta em passa, leve mineralidade. Na boca, depois de um ataque doce, mostra-se fresco e untuoso, o final é persistente.

Nota: 16.5

 

Meruge Branco 2010

No nariz mostra-se mais fechado e mineral que o 2011, alguma manteiga e apontamentos fumados. Na boca mostra-se fresco, untuoso, com a madeira bem integrada e com a acidez no ponto.

Nota: 17

 

Meruge Branco 2009

No nariz abunda a fruta tropical, algo cítrico, notas de flor de laranjeira. Na boca é untuoso com apontamentos de levedura. Mineralidade impecável. Um grande branco.

Nota: 17.5

 

A prova dos brancos decorreu pela ordem apresentada. No nariz é curioso a diminuição da fruta no 2010 em relação ao 2011 para logo depois voltar a aparecer em força no 2009. Este facto pode dever-se ao desaparecimento do carácter amadeirado (que apesar de ligeiro está presente) ao longo da guarda em garrafa, o que faz reaparecer toda a fruta em abundância.

 

Meruge Tinto 2010

No nariz: Fruta macerada, violetas, notas de cacau e baunilha. Boca com taninos firmes, algum vegetal, madeira bem presente, acidez marcante o que o torna gastronómico, final longo e persistente.

Nota: 17.5

 

Meruge Tinto 2007

Mais oxidado que o anterior com evidentes aromas de couro e fruta preta macerada. Na boca mostra potencia, alguma resina, taninos afinados. Sente-se um “pico de boca” provavelmente provocado pela fermentação malolática .

Nota: 16.5

 

Meruge Tinto 2005

 Vermelho bonito com reflexos acastanhados; No nariz mostra-se complexo, com fruta macerada, musgo, cogumelo, um pouco vegetal. Na boca é fabuloso, fresco e elegante com taninos aveludados e um longo fim de boca. Guardaria este 2005 para beber, com grande prazer, numa conversa de sofá entre amigos pois não precisa de comida para agradar.

Nota:18

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:23

Prova Vertical Quinta do Ataíde

por cegosporprovas, em 27.05.14

PROVA VERTICAL QUINTA DO ATAIDE

 

 

Localizada no douro superior e pertença da família Symington, a Quinta do Ataíde constitui uma das maiores plantações de Touriga Nacional do país.

Com uma vinha plantada desde o inicio da década de 80 esta quinta produz as uvas para o vinho Altano Reserva desde 2009, ano em que o Altano Reserva, até aí produzido a partir das uvas de várias quintas, se passaria a chamar Altano Reserva “Quinta do Ataíde” ganhando desta forma um carácter monovarietal composto essencialmente por Touriga nacional.

Foi com enorme prazer que a equipa “cegos por provas” esteve presente no passado dia 23 de Maio em mais uma iniciativa promovida pela viniportugal intitulada prova vertical Quinta do Ataíde e que contou com a presença do enólogo Pedro Correia.

 

Os vinhos que estiveram em prova foram:

  • Altano reserva 2005
  • Altano reserva 2007
  • Altano reserva 2008
  • Altano quinta do Ataíde reserva 2009
  • Altano quinta do Ataíde reserva 2010
  • Altano quinta do Ataíde reserva 2011
  • Altano surpresa (Altano Touriga nacional 2011)

 

A pontuação foi atribuída numa escala de 0 a 20

 

Altano reserva 2005

 

O ano de 2005 caracterizou-se por ser um ano seco, inverno frio, pouca chuva e um verão quente. Foi um ano de pouca produção

Castas: 75% Touriga Franca, 25% Touriga nacional

Cor atijolada. Nariz de fruta preta compotada, terra húmida, turfa, musgo, resinoso. O aroma, a precisar de tempo para se mostrar, abre e evolui para fruta passa. Taninos afinados, corpo mediano e final médio longo, uma surpresa.

Nota: 17

 

Altano reserva 2007

 

Vindima quente e seca. Foi a vindima mais seca desde 1985. Ano com boas maturações.

Casta: 55% Touriga Franca, 45% Touriga nacional

De cor vermelho vivo com reflexos castanhos, apresenta um nariz de cera preta, ameixa, resina, pimenta preta, noz-moscada. Ataque na boca doce, complexo com algum vegetal, cheio, taninos afinados, final marcante e persistente.

Nota: 17

 

Altano reserva 2008

 

Ano seco e fresco, ano de extremos com atrasos no desenvolvimento da videira. Vindima sem chuva. Uvas colhidas mais tarde.

Castas: 60% Touriga Franca, 40% Touriga Nacional

Nariz de fruta preta, algo floral (violeta, rosas) pimenta branca, boca com taninos vivos, ataque na boca doce, corpo médio e final persistente, final de noz.

Nota:16

 

Altano quinta do Ataíde reserva 2009

 

2009 Caracterizou-se por um Agosto quente, baixa produção, desequilíbrios na maturação

Castas: Touriga Nacional

Nariz Floral, esteva, violeta, cereja, boca fresca e equilibrada, termina um pouco curto e incompleto.

Nota: 16

 

Altano quinta do Ataíde reserva 2010

 

Casta: Touriga Nacional

Ainda um pouco fechado, nariz floral, boca estruturada com taninos afinados, algum vegetal, espargos, pimenta branca. Final médio longo.

Nota: 16.5

 

Altano quinta do Ataíde reserva 2011

 

Inverno frio e chuvoso verão ameno, chuva antes da vindima o que permitiu reequilibrar a videira

Castas: Touriga Nacional

Muita fruta preta, floral, esteva, cacau, tinta-da-china, concentrado, intenso. Explosão de fruta na boca especiado. Tudo indica que será um grande Tinto. Engarrafado em Fevereiro de 2013 será colocado no mercado em final de 2014.

Nota: 18

 

Altano Touriga Nacional 2011

 

Feito a partir da melhor parcela de Touriga Nacional.

Nariz vegetal, floral, notas mentoladas. Curto mas elegante na boca. Um tinto do douro diferente feito talvez a pensar em ser bebido a solo numa conversa de amigos ou a acompanhar pratos ligeiros. Ainda não está previsto o seu lançamento.

Nota: 16.5

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:10

Herdade Monte Da Ribeira

por cegosporprovas, em 23.05.14

Herdade Monte Da Ribeira

 


A HMR conta com António Nora como Director Comercial ficando a parte técnica entregue a Luís Duarte (enólogo consultor) e Nuno Elias (enólogo residente). Adquirida em 1987 pela Companhia Agrícola de Desenvolvimento SA (CADE), a Herdade Monte da Ribeira (HMR) situa-se em Terras de Marmelar, concelho da Vidigueira e dedica-se como principal actividade à produção de vinho desde 1990.

A convite da VINOTECA a equipa dos “Cegos por Provas” deslocou-se ao espaço para uma prova conduzida pelo Brand Manager da marca, Peter Diamond.

 

 

Os vinhos provados foram:

  • Pousio 2013 Rosé
  • Pousio 2013 Branco
  • Quatro Caminhos Antão Vaz & Arinto 2013
  • Pousio 2012 Tinto
  • Quatro Caminhos 2011 Tinto
  • Quatro Caminhos reserva 2011 Tinto

Os vinhos foram pontuados numa escala de 0 a 20

 

Pousio 2013 Rosé

Castas: Alfrocheiro, Aragonês e Syrah;

Nariz: pouco aromático com fruta vermelha delicada;

Boca: boca frutada com referencias a morango e framboesa, final fresco e suave; um rosé fácil e correcto;

Nota: 14.5

 

Pousio 2013 Branco

Castas: Antão Vaz, Roupeiro e Verdelho;

Nariz: cítrico, algum melão;

Boca: fresco com algum salitre que o torna particular, acidez mediana e final curto;

Nota: 15

 

Quatro Caminhos Antão Vaz & Arinto 2013

Castas: Antão Vaz e Arinto;

Nariz: fruta de polpa branca, maçã, alguma baunilha;

Boca: boca média, equilibrada e agradável;

Nota: 15.5

 

Pousio 2012 Tinto

Castas: Syrah, Trincadeira e Aragonês;

Nariz: fruta preta;

Boca: cereja, magro de boca, curto mas correcto; um tinto para o dia-a-dia;

Nota: 15

 

Quatro Caminhos 2011 Tinto

Castas: Alicante Bouchet, Cabernet Sauvignon e Touriga nacional;

Nariz: algo floral, com fruta preta a dominar, algum pimento;

Boca: ataque doce, boca mediana e especiada, com taninos vivos, algum sal; final com alguma persistência;

Nota: 15.5

 

Quatro Caminhos reserva 2011 Tinto

Castas: Syrah, Alicante Bouchet e Touriga Nacional;

Nariz: aroma ainda algo fechado com domínio da fruta preta, especiarias e algo complexo;

Boca: ataque doce a mostrar potência boca abaunilhada com algum cacau; encorpado e final persistente;

Nota: 17

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:26


Grupo de amigos com excelente visão e melhor olfato! (ligeiramente gabarolas e com descomunal auto-estima, consta)

Mais sobre nós

foto do autor


Mensagens

Pesquisar

Pesquisar no Blog  

calendário

Maio 2014

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031


Comentários recentes



Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D





subscrever feeds